Como degustar uma cerveja artesanal – confira o passo-a-passo

30/05/2018
Imagem retirada de https://brejada.com/avaliar-degustar-cervejas-pt1/
Imagem retirada de https://brejada.com/avaliar-degustar-cervejas-pt1/

Seguindo nossa série de artigos sobre degustação, agora é a vez de conhecermos mais sobre a experiência em si. A degustação de cerveja artesanal trabalha com cada um dos nossos sentidos e é importante usá-los todos para ter a melhor e mais completa experiência possível.

Visual: Olhe bem para o copo, de preferência contra a luz. Qual é a cor de sua cerveja? Ela é turva ou cristalina? Brilhante ou opaca? Tem sedimentos na cerveja? Sobre a espuma, ela tem uma boa formação? Retém por muito tempo ou baixa logo após servida? Qual a cor da espuma, sua textura?

Olfato: Hora de cheirar sua cerveja! Aqui é importante citar alguns pontos-chave: qualquer coisa com odores fortes pode comprometer essa parte da análise: como um perfume forte demais; copos e canecas de alumínio, que podem dar a falsa sensação de oxidação;segurar um lápis na mesma mão do copo enquanto se analisa pode passar uma falsa sensação de amadeirado; um ambiente como uma cozinha, cheia de temperos ou com o jantar sendo preparado, irá destruir sua experiência!

Paladar: Essa é a parte que mais gostamos, não é? Mas será que paramos para analisar o que tomamos? Então dedique um bom tempo aqui.Com goles pequenos, deixe a cerveja preencher a boca e realmente sinta seu sabor,seja enquanto ela ainda está na boca ou o residual (após engolir, o que sobra de paladar?). Tente puxar de sua memória associativa  paladares que lembrem momentos de sua vida, alimentos e bebidas que já tenha provado.

Tato: Como é? É para enfiar o dedo dentro da cerveja? Não, não! Nossa língua é rica em músculos e por isso tem um tato muito sensível! É possível sentir a diferença de textura entre a alta carbonatação de uma Brutt e o aveludado de uma Barley Wine por exemplo. A cerveja escorrega por sua boca, ou é áspera conforme a engole?

Fonte: Clube do Malte