12 coisas que você não sabia sobre a cerveja

22/02/2019
Imagem retirada de https://revistacasaejardim.globo.com/Curiosidades/noticia/2019/02/12-coisas-que-voce-nao-sabia-sobre-cerveja.html
Imagem retirada de https://revistacasaejardim.globo.com/Curiosidades/noticia/2019/02/12-coisas-que-voce-nao-sabia-sobre-cerveja.html

Você pode até saber qual o copo mais adequado para cada tipo de cerveja ou o rótulo perfeito para harmonizar aquele prato, mas ainda não sabe tudo que há para conhecer sobre a cerveja. Com tantos apreciadores ao redor do mundo, é natural que a bebida envolva muitos fatos curiosos. Confira a seguir 12 deles!

1. O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de cervejas no mundo, mas é apenas o 24º em consumo per capita, com um total de 14 bilhões de litros por ano. Ainda assim, 99% dos lares são atendidos pela indústria cervejeira, que vê cada 1 real investido no setor se transformar em R$ 2,50.

2. A República Tcheca é a maior consumidora de cerveja do mundo, com 148 litros per capita ao ano, seguida por Áustria, Alemanha, Estônia e Polônia. O reinado não é de se estranhar, já que por lá a cerveja custa menos que uma Coca-Cola, por exemplo. Este alto consumo coloca a cerveja no patamar de bebida alcoólica mais popular do mundo. Estimativas de 2016 sugerem que foram consumidos cerca de 190 bilhões de litros no mundo todo.

3. A Bélgica é o país com a maior variedade de cervejas no planeta, com mais de 1.500 rótulos diferentes. A maioria deles se enquadra na família Ale, também conhecidas como cervejas de alta fermentação. Esse processo cria bebidas com aromas de frutas e especiarias, bem mais perfumadas que as larger.

4. No antigo Egito, as mulheres usavam a espuma da cerveja para hidratar e cuidar da pele. Ainda hoje, é comum encontrar quem recomende um banho de cerveja para hidratar e conferir volume aos fios, principalmente, cacheados. Apesar da técnica ter bons resultados, os cabeleireiros não recomendam o uso da cerveja para este fim, já que o cheiro é bem desagradável.

5. Um copo de cerveja do tipo Pilsen possui cerca de 70 calorias, enquanto a mesma quantidade de suco de laranja chega a 180 calorias. Mas nem pense em usar isto como desculpa durante o jantar! A verdade é que o álcool presente na cerveja acaba por sobrecarregar o fígado, alterando a relação direta entre calorias e ganho de peso. Fora que, dificilmente, você irá parar no primeiro copo…

6. Durante a Idade Média, os monges tiveram um papel fundamental para o melhoramento das receitas de cerveja. E eles não só produziam! Por ser uma bebida encorpada, ela era consumida em grandes quantidades durante os tradicionais jejuns.

7. No Brasil, o setor cervejeiro está perto de atingir a meta lixo zero em seus processos produtivos. Os maiores fabricantes já registram índice de pelo menos 90% na reciclagem dos resíduos gerados pela produção.

8. Os primeiros registros de fabricação de cerveja têm cerca de 8 mil anos, remetendo aos sumérios. Já as provas arqueológicas mais antigas são da Mesopotâmia. Em 2010, a cerveja consumível mais antiga do mundo foi encontrada em um naufrágio do Mar Báltico. Acredita-se que o navio tenha percorrido os oceanos há 200 anos.

9. Esqueça a vodca ou o whisky! Alega-se que a maior ressaca do mundo teve como culpada a cerveja. Mais precisamente, 28 litros de cerveja. O escocês que consumiu tudo isso em uma só noite teria ficado de ressaca por 4 semanas. Já imaginou?

10. Pode não parecer a melhor ideia no quesito organização do espaço, mas a cerveja não deve ser armazenada na horizontal, sob o risco de que a tampa seja oxidada e o sabor da bebida alterado. É por essa razão também que a cerveja deve ser apreciada em copos: Quando se bebe a cerveja direto na garrafa, a boca entra em contato com os vestígios de metal deixados pela tampa e isso interfere no sabor.

11. O marrom das garrafas de cerveja pode parecer sem graça, mas tem razão de ser. A cor ajuda a proteger o líquido dos raios ultravioletas, preservando o sabor e o aroma da bebida. Após a Segunda Guerra Mundial, surgiram garrafas verdes, que sinalizam a qualidade da cerveja, produzidas com um lúpulo diferenciado. Mais caras, a cor da garrafa ainda tornaria essas cervejas mais propícias a estragarem com o tempo.

12. Uma loirinha pode parecer a melhor visão do mundo no final de um longo dia, mas não se deixe enganar pelo copo gelado! Aspectos como a espuma e as bolhas devem ser levados em consideração, pois indicam a qualidade da cerveja. Uma cerveja sem espuma pode ser culpa de um erro de fabricação, enquanto bolhas maiores indicam a má qualidade da marca - ou que o copo não foi limpo corretamente.

Fonte: Casa&Jardim